Feijão pode inibir o câncer; veja 31 segredos para viver mais

Feijões: um estudo realizado com idosos na Austrália, Japão, Suécia e Grécia, os pesquisadores descobriram que as pessoas que comiam 20 gramas de feijão diariamente tinham as chances de morte diminuídas em 8%. Uma dieta rica em ácidos graxos evita o desenvolvimento do câncer, defende uma pesquisa da Michigan State University Foto: Getty Images

Feijões: um estudo realizado com idosos na Austrália, Japão, Suécia e Grécia, os pesquisadores descobriram que as pessoas que comiam 20 gramas de feijão diariamente tinham as chances de morte diminuídas em 8%. Uma dieta rica em ácidos graxos evita o desenvolvimento do câncer, defende uma pesquisa da Michigan State University

Foto: Getty Images

Vez ou outra surgem pesquisas científicas que defendem que alguns alimentos e hábitos são verdadeiras armas a favor da saúde. Alguns deles são capazes de melhorar o funcionamento de alguns órgãos, blindar o corpo contra certas doenças e favorecer a harmonia emocional do corpo. As informações são da Health Magazine.

1. Brócolis, uva e salada: uma dieta rica em frutas e legumes e pobre em calorias é uma boa aposta para uma vida longa. Coma brócolis, uvas e saladas. Pesquisas científicas provaram que esses alimentos prolongam a vida.

2. Frutas vermelhas: essas frutinhas são cheias de antioxidante e aumentam a imunidade do corpo. Um estudo da Universidade de Havrd descobriu que pelo menos uma porção de blueberry ou duas porções de morango por semana podem reduzir o risco de declínio cognitivo em idosos.

3. Alho: estudos descobriram que os fitoquímicos presentes no alho podem interromper a formação de substâncias cancerígenas no corpo. Ainda, as mulheres que consomem mais alho têm menores chances de desenvolver câncer de colo do útero.

4. Azeite: a gordura do azeite, conhecida como monoinsaturada, é bastante conhecida por proteger a saúde cardíaca. Outros estudos também apontam que duas colheres de azeite por dia também pode proteger o cérebro e prevenir o câncer.

5. Acelga: um estudo da Universidade Vanderbilt descobriu que as mulheres  que incluíam em sua alimentação nabo, couve e acelga tinham menos riscos de morrer em decorrência de um câncer de mama.

6. Abacate: a fruta pode reduzir o LDL, conhecido também como colesterol “ruim”, enquanto eleva os níveis do colesterol “bom”, o HDL.

7. Tomates: o licopeno, presente nos tomates, é um importante aliado na luta contra o câncer. Comê-los cozidos podem ser mais eficiente para afastar os casos de câncer, como o de próstata.

8. Feijões: um estudo realizado com idosos na Austrália, Japão, Suécia e Grécia, os pesquisadores descobriram que as pessoas que comiam 20 gramas de feijão diariamente tinham as chances de morte diminuídas em 8%. Uma dieta rica em ácidos graxos evitam o desenvolvimento do câncer, defende uma pesquisa da Michigan State University.

9. Grãos e sementes: comer fibras pode reduzir os riscos de morte em 22%, defende um estudo publicado no Archives of Internal Medicine. Especialistas dizem que a fibra pode proteger contra diabete, doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e obesidade, e pode reduzir o colesterol e controlar a pressão arterial.

10. Álcool com moderação: diversos estudos sugerem que pequenas quantidades de álcool podem beneficiar a saúde cardíaca. Um estudo feito pela Harvard Medical School descobriu que o consumo moderado de bebida por homens que tiveram um ataque cardíaco pode ajduar a diminuir o risco de morte.

11. Não beba: Tomoji Tanave, um dos homens mais velhos do mundo, que morreu em 2009 aos 113 anos, dizia que nunca havia tomado bebida alcoólica. Leite era sua bebida obrigatória.

12. Uísque: essa não é comprovada pela ciência, mas Raymonde e Lucienne Wattelade, as gêmeas mais velhas do mundo, disseram que o segredo da longevidade era tomar uma dose de uísque, além dos exercícios físicos regulares.

13. Chá verde: esta bebida cheia de antioxidantes, que livram o corpo dos radicais livres e ajudam o organismo a funcionar melhor.

14. Café: em 2008, um estudo da Universidade de Harvard apontou que as mulheres que bebiam de café por duas a três xícaras tinham 18% menos chance de morrer do que as que não consumiam a bebida. Se consumissem de quatro a cinco xícaras, os índices passavam para 26%.

15. Chocolate: homens que comem pequenas quantidades de chocolates até três vezes por mês vivem quase um ano a mais que aqueles que não o fazem. Isso é o que defende um estudo de Harvard, publicado em 1999. Outro estudo feito pelo Instituto Karolinska, em Estolcomo, provou que os pacientes que sobreviveram a um ataque do coração tinham 44% menos chances de morrer durante os próximos oito anos, se eles comessem chocolate pelo menos uma vez por semana. Tudo isso se deve aos flavonoides encontrados no cacau.

16. Menos carne vermelha: pessoas que comem carne vermelha todos os dias têm um risco maior de morrer durante um período de 10 anos do que aqueles que comem menos, de acordo com um estudo de 2009 da Universidade da Carolina do Norte.

17. Mais carne branca: no mesmo estudo, as pessoas que comiam mais carne branca como frango, peru e peixe pareciam ter menores riscos de morte por ataque cardíaco.

18. Mais nozes: substituir a carne vermelha por carne branca, nozes e leguminosas pode reduzir em 19% as chances de morte nas pessoas com idade média.

19. Milho, feijão e carne de porco: comer como um costarriquenho pode aumentar suas chances de ter uma vida longa e saudável. Um homem de 60 anos na Costa Rica tem cerca de duas vezes mais chances de chegar aos 90 anos do que homens nos Estados Unidos, França, ou mesmo do Japão. Costarriquenhos têm uma vida muito ativa e uma forte ética de trabalho, bem como uma dieta que consiste basicamente de milho, feijão, carne de porco, hortaliças, frutas.

20. Frutas e verduras vermelhas: comer frutas e verduras com essa cor pode ser uma boa maneira de se manter jovem. Aposte no repolho vermelho para se proteger contra o câncer e melhorar a saúde do cérebro, no suco de beterraba para baixar a pressão arterial e os tomates para baixar o colesterol.

21. Bananas: triatleta mais antigo do mundo ainda está forte aos 91

22. Peixe: salmão, atum e outros peixes oleosos podem ajudar os pacientes com doença cardíaca a viver mais, porque os ácidos graxos, como o ômega-3, ajudam a combater a inflamação perigosa que pode prejudicar o funcionamento do corpo. Para manter a saúde, aposte nas versões cozidas ou assadas e evite os peixes fritos.

23. Alimentos orgânicos: alguns estudos defendem que os produtos orgânicos possuem mais vitaminas e minerais que os alimentos convencionais. Um estudo da Universidade de New Castle sugere que os alimentos orgânicos podem estender a vida em 25 dias para os homens e 17 dias para as mulheres.

24. Deixe no prato: “se você quiser viver mais, deixe um pouco de refeição em seu prato”, defende Dan Buetter que estuda as áreas ao redor do mundo onde as pessoas vivem mais. Na cultura japonesa, ele diz, as pessoas param de comer quando sentem-se 80% satisfeitas uma prática que ajudou o país ganhar um lugar no topo da lista de locais com as pessoas mais velhas.

25. Duas refeições diárias: Walter Breuning de Great Falls era o homem mais velho do mundo quando ele morreu em 2011, aos 114 anos. Ele atribuiu sua longevidade ao fato de fazer apenas duas refeições por dia, informou o Daily Mail. Breuning disse que comeu um grande café da manhã e almoço todos os dias, saltou do jantar, bebeu muita água, e comia muitas frutas.

26. Comer menos: alguns estudos têm demonstrado que os animais vivem mais se comerem apenas uma vez a cada dois dias. Pesquisa da Universidade de Washington também descobriu que pessoas que restrinjam a sua ingestão de calorias têm menores temperaturas do núcleo-uma indicação de que seus corpos podem operar de forma tão eficiente quanto possível.

27. Dieta japonesa: acredita-se que peixes, tofu e vegetais façam com que a expectativa de vida cresça. Muitos especialistas defendem que o estilo de vida japonês controla o peso, e traz benefícios como a longevidade.

28. Dieta mediterrânea: As gorduras saudáveis do peixe, azeite de oliva, nozes, frutas e legumes, e quantidades moderadas de vinho presentes na dieta mediterrânea são os responsáveis por corações mais saudáveis, menores taxas de câncer, obesidade e mal de Alzheimer.

29. Dieta nórdica: também conhecida como dieta escandinava, as refeições são compostas de repolho, pão, centeio, raízes, farinha de aveia e peixe.

30. Caseira: se tudo isso falhar, a comida caseira pode ser o segredo para uma vida mais longa. Um estudo da Universidade de Cambridge descobriu que as pessoas que cozinham até cinco vezes por semana tiveram uma chance 47% maior de permanecer vivo durante um período de 10 anos.

31. Pizza de peperoni: só porque sua comida favorita é não está nesta lista não significa que você está condenado a uma vida mais curta. Tome Irmã Cecília Adorni de Hamden, Connecticut, que faleceu em 2011 com 103 anos: Na sua festa de aniversário daquele ano, colegas de trabalho contaram à CBS que Adorni gostava de comer bife às vezes, mas que sua comida preferida ainda era pizza de peperoni.

fonte:site terra