Onde você está?

Muito se discute hoje se denominações são sinônimos de igreja, se são coisas diferentes, se as denominações são responsáveis pelo desenvolvimento da salvação individual ou não, se elas podem ser “tóxicas” ou uma bênção de Deus… Mas, vejamos: se as denominações são organizações e a igreja são pessoas que nasceram de novo, então a igreja pode viver dentro ou fora de uma denominação, bastando que a igreja continue sendo o que sempre foi: um organismo vivo composto por pessoas que foram capturadas por Deus e O amam, assim como amam aqueles que dEle são nascidos. Por isso, onde você fisicamente está é totalmente irrelevante. O importante é com “quem” você está, em que Pessoa você está. Em outras palavras: você está em Cristo? Dessa resposta depende a sua e a minha realidade, estejamos onde estivermos… “Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (Jo 4:19-24) Jesus, Aquele que edificará pessoalmente Sua igreja, foi tão claro quanto ao verdadeiro lugar de adoração: no Espírito e em Realidade. O local físico não parece importar ao Mestre; o lugar espiritual, sim, esse é de vital importância – porque as pessoas que estiverem nesse “endereço” serão procuradas pelo Pai. Parece tão simples, mas para muitos ainda é um mistério… JESUS JAMAIS PEDIU aos seres humanos que se organizassem em denominações. Nos primeiros dias da igreja os cristãos tinham uma dupla identidade: eram seguidores de Jesus Cristo, convertidos verticalmente a Deus. Em segundo lugar, congregavam com base na geografia, quando também se convertiam localmente uns aos outros, formando movimentos eclesiais. — Wolfgang Simson Fonte: “Casas que Transformam o Mundo”.