Testemunho de uma Ex-Evangélica (Verídico)

E por quais caminhos eu tenho andado?
Pelos caminhos que me façam calar o barulho religioso que me tirou da Cruz.
Tentando agora viver o cristianismo dentro de casa, lugar de onde ele nunca deveria ter sido tirado.

Decepcionando-me com alguns conceitos de igreja, para então encontrar a planta da verdadeira casa de Deus que depois da Cruz foi colocada dentro dos nossos corações.
Há muita gente boa e há muita gente má usando a palavra de Deus. Seria muita pretensão, e muita perda de tempo ficar definindo quem é quem. Por hora quero tão somente permitir que eu mesma seja sondada pelo Evangelho que abriu os meus olhos a respeito das mentiras que cultivei por conta própria durante tantos anos. Quero permanecer na paz que Ele me deu ao me mostrar que é o próprio mantenedor do seu amor e salvação, o autor e consumador da minha fé, enfim, pela graça fui salva, não pelo quanto eu oro, por quanto eu pulo, quanto eu grito, ou pelo quanto eu faço. E a adoração é em Espírito em Verdade e não fazendo barulho, incomodando vizinhos e fazendo juízo de quem é salvo ou não, os fariseus que eram hipócritas faziam isso.
Os frutos são do Espírito, e não tem nada a ver com os números dos eventos evangelísticos. Os benefícios de obedecer a Palavra não tem nada a ver com “muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender”, mas tem a ver com encontrar nela o Salvador, desde o Édem até o Apocalipse…uma seta para o Salvador, este é o benefício da Palavra!O bote salva-vidas veio agora pra nós, discreto, nos convidando a atravessar para o outro lado onde podemos encontrar um Evangelho sem mácula, devemos nos desapegar de vez a qualquer outro tipo de evangelho por mais piedoso que pareça ser, porque a este outro evangelho Paulo destemidamente disse:Seja anátema!(Gálatas 1)
Inclusive o NT gasta boa parte do seu tempo elucidando a igreja a respeito da apostasia, dos falsos profetas, dos enganos sem pretensão mas totalmente venenosos que desviavam as pessoas do único Cristo…desde aquela época…mas a nossa geração se calou.

Eu e minha casa serviremos ao Senhor, daremos nossas ofertas aos necessitados ao invés de pagar dízimos, posto que eu não tenho responsabilidades sobre as contas de uma instituição que Deus não pediu que fosse construída, que tem boa serventia de nos tirar do mundo, nos fazendo sócios do clube, mantenedores da instituição, mas que não mantém a vida dos missionários no campo.
Também não tenho mais medo do gafanhoto, pois aprendi que ameaças não fazem parte do caráter do meu Pastor que me ensinou estar contente com o que tenho. E por fim entendi, que pagar dízimo, guardar o sábado e não comer carne de porco é a mesma coisa: desprezar a Graça!

Ensinaremos nossos filhos a simplicidade de ser cristão, que não é um chamado para o estrelismo evangélico que tem distraído uma centena de jovens missionários e roubado suas vidas, levando-os a buscarem os palcos e não as ovelhas perdidas. Isto não quer dizer que alguns não sejam chamados para os palcos, mas estes não perderão a humildade e a Verdade pelo caminho.

Se eu disser que tenho feridas pelo tempo que passei sendo evangélica neopentecostal eu peco, pois aprendi muito, foi tudo sincero, o Jesus que me foi apresentado é o mesmo que liberta minha alma hoje.

Nunca fui enganada, apenas me enganei a respeito de pontos cruciais da Verdade. As pessoas que me pregaram a palavra, amaram a minha vida, me deram um conceito de família, dedicaram e ainda se dedicam ao negócio do Pai: as vidas. Os princípios, o amor e a vida de todos os que me amaram e a quem eu amei permacem, até a eternidade, pois o sangue que corre em nossas veias não fomos nós que escolhemos, mas Ele mesmo que nos escolheu, paternidade não se escolhe.

Mas é um caminho sem volta, visto que: “Chamando nova esta aliança, ele tornou ANTIQUADA a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de DESAPARECER.”(Hebreus 8:13).

O viver pra mim é Cristo, e o que passar disso é tornar vã a Graça de Cristo, costurar o véu, ressussitar a lei, e se alguns como nós são chamados a polarizar, é para que outros possam abrir os olhos para um evangelicalismo que não serve mais para hoje, mas já não servia ainda ontem. Nem todos serão chamados para fora, mas os que ficarem terão de ser mais fortes do que eu para permanecerem íntegros.

Diante de tantas dores que temos vivido pelo que tem sido feito com a Palavra, deixo apenas dois conselhos como irmã em Cristo:1-Leiam a Bíblia, com a revelação que ela mesma trás!

2-Amem seus irmãos ao ponto de falar-lhes a verdade sempre que for necessário e não sempre que lhe for conveniente, (principalmente no caso dos que ensinam) Pois o fato de nos calarmos e não julgarmos todas as profecias fez com que a Igreja no Brasil se tornasse “isto” que a globo pode comprar hoje…porque o Evangelho já a muito tempo nos advertiu: “farão de vós negócio…”

Tenho dores sim, até que Cristo seja formado em nós…

Franciele Karini A. Battiston
(Irmã que como vós têm aprendido a viver a liberdade e a graça que há em Cristo fora dos domínios institucionais)

fonte:  A New Wineskin